TRIBOS URBANAS
Postagem 23 de fevereiro de 2014

Arte taw ranon

Não há como negar: uma das coisas mais cobiçadas ultimamente, é a conquista da auto projeção social silenciosa que se abriga nos meandros dos availabilities  tecnológicos, quase como que uma indispensável para o equilíbrio físico e mental. Há quem afirme que na prática também se possa experimentar uma inigualável sensação de prazer de finalmente se ter alcançado o tão sonhado equilíbrio financeiro.

Não sendo poucos os recursos a disposição de uma havida e inquieta raça incessantemente em busca, exagerada ou não, a produção de textos e imagens que inunda as redes sociais beirando algo próximo do diluvio descrito nas escrituras sagradas.  

Sem um numero qualquer que expresse a energia gerada sobre a face do  planeta, em portais como o Facebook, o Instagram e outros tantos descrevem a vida muito mais do que simplesmente  existir: é preciso dizer todos os dias ‘eu existo e estou, por cima da carne seca’. Premissa básica do curtindo é que se é curtido, basta para isso curtir.

Intensa porem sem noção poderia parecer a presente contemplação. Expedição de um passado inteiramente isenta das trilhas que percorrem o mundo, no partilhamento da experiência insensata ou não. Na porteira do alivio imediato anti-rugas e frustrações, no consultório de psicologia e até dermatológico. Tem se de tudo e para todos tem se visto de tudo. E, em se sobrando tempo, prazeroso pode ser cutucar o capeta com vara curta, isso não custa nada. Se se melar a “relação” fazer o que? abre se outra conta.

Como seria o mundo sem isso não se pode imaginar. Como também não é possível imaginar como seria o mundo com isso e disposto a contestar a sua própria veracidade. Na linha do tempo de cada um, a missão de nela escrever o certamente fara parte de um futuro.  

Cordeiros e corvos e anjos, bestas, sábios ou serpentes, dia apos dia apesentamos nossas idéias todos na mesma ceara. Preferindo me calar eu até me calaria se nada mais houvesse a dizer.  Na sucessiva produção de imagens e palavras, sem que sejamos questionados, na imensidão do universo, cumprimos a missão de sermos como se costuma dizer: a imagem e semelhança do todo poderoso, imagem e a semelhança de Deus.


TAW RANON




Resto do Post

 

Período de férias
 
O blog Artistas Anapolinos fará uma pausa em suas atualizações. Estaremos de férias no período de 1 de dezembro de 2013 a 23 de fevereiro de 2014. Durante este tempo estaremos recebendo normalmente as sugestões de todos os nossos leitores e analisando as opiniões que enriquecem as nossas postagens. 

Desejamos a todos, um feliz 2014.
 
ARTISTAS ANAPOLINOS E A VITRINE DO SUCESSO

 
 
Resto do Post

Até breve!

Até breve!
Postagem 24 de novembro de 2013


Arte taw ranon
Breve como breve é a existência, na permanência do tempo, 2013 também encerra o seu período. Em 2014 ARTISTAS ANAPOLINOS estará de volta. Desejamos que o ano seja tranquilo e que na mesma proporção da luta cotidiana nos venha o ânimo e o equilíbrio, para poder enfrenta-la. 

No ano que se encerra estivemos atentos aos fatos culturais da nossa cidade, do nosso país e do mundo. Olhando para trás, percebemos como orgulho, que fomos poupados de coisas inúteis, proporcionamos boas sacadas, circulamos livremente por vias expressas e as vezes solitários, encontramos no silêncio muitos motivos, para a sim proceder.
 
Baseamos as nossas crônicas, contos e reportagens, nas emoções da nossa cidade e muito mais pelas quais passam o nosso país. Inspirados em fatos reais, engraçados, hora nada espirituosos. Mantivemos o compromisso de alimentar a atualização do nosso blog não só nos limites da arte e da cultura, como também estendemos as nossas fronteiras, para além da indiferença com deveres e direitos que temos, como cidadãos civilizados.
Mergulhamos na essência da alma humana e seus conflitos, nos fizemos suficientemente capacitados a entender as explicações da ciência, quando muitas respostas encontravam-se escondidas dentro das próprias pessoas. Cientes de que cada publicação precisa estar aberta intrínsecas reações, mantivemos a classe e a ética, quando tudo parecia oportunamente fácil.  
Entre as muitas satisfações, vimos crescer o número de acessos ao nosso blog.  Em 2013, atingimos a marca dos 41.000 acessos.
Estamos saindo de férias. Em fevereiro retomaremos as nossas atividades, com a mesma linha de dialogo que se identificam os nossos leitores, sempre receptivos, a uma nova historia. Até o ano que vem! Temos a certeza que nos veremos em um novo tempo, embora aqui o emprego da frase pareça nos colocar em lugar extremamente comum.
Se em 2013 os amigos falharam, a grana que era pra vir não veio ou se o tão esperado amor se veio praticamente passou batido para uma outra estação, nenhuma riqueza pagaria a satisfação de encerrarmos o ano com liberdade, sem a qual a vida é nada.
Salve 2014!
 
TAW RANON

 
Artistas Anapolinos Doc. Memoria
Ponte da antiga estrada de ferro - ramal Anápolis, construída sobre o Córrego das Antas em 1935. O presente registro é atual. Foto: taw ranon/Acervo ARTISTAS ANAPOLINOS.


O Busto localizado na Praça das Mães em Anápolis é confeccionado em Bronze e foi construído em 1963. O presente registro também é atual. Foto: taw ranon/ Acervo ARTISTAS ANAPOLINOS.

Baile da Terceira idade realizado pelo Centro de Convivência dos Idosos de Anápolis. O registro é de 2009. Foto: taw ranon/ Acervo ARTISTAS ANAPOLINOS.

 
Resto do Post

Vigilantes da implicância


 
Vigilantes da implicância
Postagem 17 de novembro de 2013
 


Arte taw ranon
Por mais que tentemos evitar a mesmice de todos os finais de ano, as histórias se repetem sempre do mesmo jeito. Quem por falta de noção assistiu os seus planos naufragarem, num mar de incompetência, copia antigos e saudosistas enredos para dizer como se fosse novidade, que odeia o natal. Por sua vez e atrelados, ao grupo dos descontentes, os que ficaram a ver navios na existência sentimental, acentuam em suas expressões aspectos de quem não foi feliz nessa vida e nem na outra será. Em um outro extremo e alheios, aos vigilantes da baixa auto estima, misturam-se os  que volta e meia fazem questão de dizer: “Meu Deus do céu! Como o ano passou rápido”.
Intenso como intenso seria incluir a nossa maneira de agir a individualidade de outras pessoas, para que balaços efetivamente favoráveis sejam verificados em dias assim, nada melhor seria segundo os especialistas, uma boa gestão do tempo. 
Respeitado pela sua atuação frente ao Instituto Brasileiro de Coaching, José Roberto Marques que também atua como treinador, publica importante artigo sobre como organizar as atividades, sem perder a qualidade, de maneirara a atender as todas as demandadas com maior agilidade.  Entre os vários destaques, José Roberto explica que para conseguir reservar tempo e dedicar-se a vida pessoal, é preciso estar atento aos excessos de conversas paralelas ao trabalho, principalmente nas redes sociais.
Definitivamente enraizados ao ser humano na sua incessante busca pela riqueza, quando não pelo poder, pouco às vezes é dado a saber, sobre o que nos reservaria o andamento de nossa historia, se menos dela exigíssemos nos doze meses do ano. Frequentemente deixada de lado em troca de outras prioridades, as ocasiões dedicadas a nos mesmos fica para quando Deus na sua infinita bondade nos conceder mais tempo, o que torna a  vida corrida como se nos fora ela ofertada desde os seus primeiros dias, como uma amostra grátis.
Tal e qual o poder e a fama, os sonhos também se esvaem muito mais rápido do que se espera quando construídos a toque de caixa. A oportunidade de vivenciar as coisas mais simples acaba por extinguir-se bem antes, uma prova cabal de que a ignorância é a mais categórica definição de que em muitos casos a pressa é mesmo, inimiga da perfeição.
Sábio em sua defesa pela simplicidade da vida embora fosse oriundo, de uma família ilustre, Lúcio Aneu Séneca o célebre advogado, escritor, e intelectual Romano (4 a.C/65 d.C) conhecido também como Sêneca, diz em sua obra que o verdadeiro elogio não esta na vida que se vive mas na vida que se deveria viver. Infinito o conhecimento contido nos seus escritos, Sêneca fala que “Somente aquele que tem a consciência de como a vida é efêmera, e que a morte a qualquer instante pode chegar, não perde tempo e cultiva a arte de viver e amar a cada dia e não espera pelo amanhã na tola ilusão de que sempre terá tempo. Não há melhor época para a vida de ninguém, o que existe é a conquista de melhor dia, todos dos dias”.  
TAW RANON
 
Artistas Anapolinos Doc.Memoria
Construída em 1929, a Capela de Bom Jesus hoje Catedral, é um dos símbolos históricos mais importantes da cidade de Anápolis. No natal ela se cobre de luzes para celebrar o nascimento de Jesus. O registro fotográfico realizado em 2009, mostra uma panorâmica do templo e os sinos localizados em sua torre. Fotos: taw ranon/Acervo, ARTISTAS ANAPOLINOS. 
 

 
 
Resto do Post


Viciado quem? Eu?

Postagem 10 de novembro de 2013


Arte taw ranon
 
É bem verdade que a uma certa altura da vida, benéfico mesmo é dar boas risadas, contrariado a opinião de quem acredita que excessivos acontecimentos distribuídos como inéditos, na verdade não passam de repetidos episódios, que já foram presenciados.
 
Longe das câmeras, dos holofotes e dos artifícios que materializam a auto estima dos anônimos, convertendo-os em instantâneas celebridades, quem não se lembra das flageladas mães do Brasil, que até bem pouco tempo apareceram nas páginas dos jornais, acorrentando os sues filhos a perna de uma cama? Quase bizarro o evento e no limite de suas forças, a crucial tentativa de evitar com que os mesmos se evadissem dos seus lares levando o pouco que neles restava, perdia-se no rastro das drogas e do seu efêmero alento.  

Acumulados na ausência da família e do estado que não cumpriu o seu papel acima e a baixo, a culpa atribuída a uma mente desocupada e aos resultados por ela gerados às vezes termina sendo de quem jamais imaginou se ver um dia envolvido em suas espinhosas histórias. Se por falta de vergonha, ausência dos pais e do estado no amparo ao cidadão, pouca coisa se sabe sobre os investimentos na causa, muito é do conhecimento de todos as novas formas de vícios, e os seus ataques a outras mentes vazias. 

Duradouro e Infalível como incessante tem sido ao longo dos séculos a luta do bem contra o mal, nenhum segundo a mais tem sido reservado à mentes vazias e abertas, a instalação de produtivas oficinas do diabo. Ainda que pesquisadores e estudiosos da mente humana afirmem ser relativa ocupação  de equivocadas ações e que nem sempre apenas aos ociosos fique determinados impressões e sentimentos, negativos, o perigo pode estar no futuro principalmente para as deliberações que que foram assim assumidas.

Muito bem entendidas porem pouco processada a explicação, no encaminhamento do zelo próprio, tornar-se a cada dia mais dependente dos dispositivos eletrônicos torna-se um ponto crucial e imperativo para a sobrevivência no presente. Detectados nos momentos mais inusitados como na hora do banho e do sexo, eles seduzem com então seduzira ao pobre noiado as drogas e o seu insubstituível prazer.  

Praticamente transformada em uma roda-viva de volta, ao seu ponto de partida, a matéria publicada em maio deste anão pelo portal G1 da Globo, ironicamente parece repetir as avessas mais uma de suas   histórias. Verdadeiramente semelhante ao que muita gente já assistiu por aí, a súplica de outra mãe mais uma vez gira em torno das fraquezas do filho. Moradora do estado do Estado do Espirito Santo, a dona de casa chama a atenção sobre o filho viciado em internet. Há cinco anos sem sair de casa e com apenas 18 anos de idade, o jovem teria como argumento para a estranha decisão, o bullying suportado na escola. Sofrendo por ter sido chamado de feio e mongol padecendo ainda da deficiência de aprendizado, abaixo do peso, comendo e dormindo pouco, sistemáticamente só conseguiu encontrar uma identidade no mundo virtual.

Mesmo que para os pais o fracasso de um filho antes para eles signifique o seu verdadeiro fracasso, para a psicanálise o motivo se manifestaria nas varrições que alcançam os nossos desejos e os meios, para poder atingi-los. Aliados a isso para que convivência possa ser possível não seria demais aceitarmos que independente da classe social, valores como honestidade, coragem, moral, autoconfiança e determinação, podem ser repassados de pai para filho que certamente lhes serão agradecidos, pelo resto de suas vidas.


TAW RANON


Artistas Anapolinos Doc. Memória 


Durante uma hora e vinte minutos a dupla de humoristas Nilton Pinto e Tom Carvalho divertiu o público que compareceu ao evento realizado na Vila Jaiara. A apresentação que aconteceu no dia 29 de dezembro de 2009 fez parte das comemorações de final de ano em Anápolis. Fotos: taw ranon, acervo/ARTISTAS ANAPOLINOS.


 
 
 

Resto do Post

ASSIM OU ASSADO



ASSIM OU ASSADO

Postagem 3 de novembro de 2013


Arte taw ranon

Na ara do ‘faço tudo o que faço, porque todo mundo faz’, não é de se estranhar que um corrupto tenha admiração, quando não devoção, a um outro não menos velhaco. Ainda que a distância o impeça de dizer com a mão no ombro da monumental divindade: Tamo junto companheiro, mais cedo ou mais terde - pelo menos ele espera - isso vai acontecer. 

Responsável ao longo da história pela diminuição de investimentos públicos em infraestrutura social como a educação, a saúde, a segurança, e outras condições igualmente importantes, para a legítima experiência de uma grande nação, o exercício da desonestidade cobiçado por muitos e delegado a poucos, torna-se alheio ao que na verdade deveria ser o correto. 

Há exatos dois meses para o final de um ano que segundo as precisões deveria ser o ano da flexibilidade, harmonia e entendimento entre as pessoas,  o que nos reservaria a jornada em 2014? 

Deixando para trás um ano em que as manifestações públicas no Brasil, abalaram o país, 2013 nos da a exata medida do que possa ser considerado mais do que um ano de irregular, para alçar o patamar de conflitos por interesses políticos. Arrasadora ainda que poucas vezes assim interpretada, a desordem social refletida muito bem estrutura no esgotamento cultural e educacional do país facilmente poderia ser comparada a tese da “teoria das janelas quebradas”.

Defendida pela primeira vez em 1982, o artigo escrito pelo criminalista, professor e pesquisador americano, George L. Kelling e o cientista politico James Q. Wilson, buscava pelo compreender a crescente escalada da criminalidade, sobretudo nas comunidades menos assistidas. A interessante narrativa do estudo publicado pela pesa, conta em texto comparativo que se “algumas janelas quebradas não forem reparadas, a tendência é para que vândalos partam mais janelas. Eventualmente, estes poderão entrar nos edifícios, e se estes estiverem desocupados, torna-los “ocupados” ou incendiá-los”.

Facilmente atribuída a simples atos de vandalismo, a expressão possivelmente equivocada não encontra abrigo nas raízes de sua profunda simplicidade. Desesperada e ineficaz, a tática de estarrecer a opinião de um país pacífico que se vê obrigado a lidar com um assustador fenômeno, pouca coisa consegui tornando-se simplesmente banal. Visto que o fenômeno atribuído à divisão social é bem mais complexo do que parece, a expressão que por si só deveria evidenciar a barbárie, também parece recuar no tempo, onde estrategistas implacáveis acreditavam que a melhor defesa, era mesmo o ataque.

Legalmente reconhecido palas leis do país e retratados nas informações que também os fazem cidadãos brasileiros, por instantes chocam-se as realidades, no cumprimento dos seus direitos e deveres. Por fim, de um dos períodos mais interessantes da nossa história recente deveria se lembrar: outras previsões virão, mas nenhuma recomendaria as que disseram que 2013, seria assim ou assado. 

TAW RANON



Artistas Anapolinos doc. Memória

Um dos melhores momentos da arte e da cultura no Brasil em 2013, reúne talentosos profissionais da música clássica em um musical produzido pela Rede Canção Nova de Televisão. O luxuoso suporte da grande orquestra e coral, embala belíssimas canções, como esta da compositora Maria Nazareth Barreto: ‘Abre Bem os Teus Braços’. A emocionante interpretação do Monsenhor Jonas Abib, faz parte do espetáculo que comemora os 30 anos da Fundação João Paulo II. Bravo! Canção Nova.



video







Resto do Post